Notícias

30.08.2017Soja trabalha no negativo na tarde desta 4ª, mas movimentos unilaterais não têm firmeza

Soja trabalha no negativo na tarde desta 4ª, mas movimentos unilaterais não têm firmeza

Soja trabalha no negativo na tarde desta 4ª, mas movimentos unilaterais não têm firmeza

 

Na tarde desta quarta-feira (30), a soja trabalha no campo negativo na Bolsa de Chicago (CBOT), com quedas de 2,75 a 3,25 pontos nos principais vencimentos.

Por volta das 11h52 (horário de Brasília), o vencimento setembro/17 apresentava queda de 3,25 pontos, a US$9,27/bushel. Para novembro/17, queda de 3,50 pontos, a US$9,33/bushel. Janeiro/18 apresentava queda de 3,50 pontos, a US$9,43/bushel e março/18, mais distante, queda de 3,25 pontos, a US$9,52/bushel.

Na análise da AgResource, destaca-se que a soja ainda não possui novidades nem do lado baixista e nem do lado altista neste momento. Com isso, o mercado não se posiciona com firmeza em nenhum movimento unilateral.

A presença do Furacão Harvey, que apesar de rebaixado e transformado em tempestade tropical vem causando sérios danos no Texas e em Louisiana, ainda chama a atenção dos operadores de mercado.

Kevin McNew, da AgWeb.com, destaca que as previsões de temperatura nos Estados Unidos apontam para pouca umidade nas próximas duas semanas e temperaturas mais frias são esperadas para o Meio-Oeste americano no próximo 5 de setembro.

Oportunidades de chuvas estão limitadas para a região do Delta do Mississipi e para a região do vale do Rio Ohio na previsão para cinco dias.

Ainda de acordo com a AgResource, as exportações de soja estão aquecidas no Brasil, com demanda acelerada nas últimas semanas, principalmente por parte da China.

Por: Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

 

Outras notícias