Notícias

03.01.2018Milho: Na CBOT, mercado reduz ganhos, mas permanece em campo positivo no pregão desta 4ª feira

Milho: Na CBOT, mercado reduz ganhos, mas permanece em campo positivo no pregão desta 4ª feira

Milho: Na CBOT, mercado reduz ganhos, mas permanece em campo positivo no pregão desta 4ª feira

 

Durante o pregão desta quarta-feira (3), os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) reduziram os ganhos, mas permanecem em campo positivo. Perto das 11h44 (horário de Brasília), as principais posições do cereal testavam altas entre 0,25 e 0,75 pontos. O contrato março/18 era cotado a US$ 3,53 por bushel, enquanto o maio/18 operava a US$ 3,62 por bushel. 

O mercado dá continuidade aos ganhos registrados no dia anterior. Ainda nesta terça-feira, os preços foram impulsionados pela valorização observada nos contratos do trigo. Por sua vez, o trigo foi sustentado pelas preocupações com o clima frio nos EUA, o que pode trazer prejuízos à produção.

"A questão da secura na Argentina também permanece em foco", destacou o Agrimoney.com. Nos próximos dez dias, as previsões meteorológicos indicam que o tempo deverá continuar quente e seco. Em sua última estimativa, o analista internacional, Michael Cordonnier, manteve em 42 milhões de toneladas sua projeção para a safra de milho da Argentina.

"Também é preocupante o clima econômico na Argentina", reportou Benson Quinn Commodities ao Agrimoney.com. "Uma deterioração econômica contínua parece levar a taxas mais altas de inflação e taxas de juros. Incertezas que levam os produtores a serem vendedores relutantes", completa o especialista.

BM&F Bovespa

Enquanto isso, na BM&F Bovespa, os vencimentos da commodity operam com leves altas. Os vencimentos do cereal exibiam ganhos entre 0,12% e 0,30%. O janeiro/18 era cotado a R$ 33,24 a saca e o março/18 operava a R$ 34,14 a saca. 

As cotações ainda encontram suporte na alta registrada nos preços em Chicago. Por outro lado, o dólar era cotado a R$ 3,25, com leves oscilações. "Os investidores aproveitam o nível de preços para irem às compras após a forte queda da véspera", reportou a Reuters. 

Tags:
 
Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

 

Outras notícias