Notícias

14.02.2018Consultor aposta em safra de 47 mi t para soja argentina

Consultor aposta em safra de 47 mi t para soja argentina

Consultor aposta em safra de 47 mi t para soja argentina

 

Entre a falta de chuvas nas terras mais ricas e o excesso de água no Norte, o clima está cobrando seu preço à colheita argentina. A este fator se soma o fato de que tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos são esperados valores nunca antes registrados. Assim, os argentinos poderão ter menos soja e menores preços.

O subsecretário de Agricultura do país, Luis Urriza, disse ao Clarín: "Vemos um impacto importante. Esperávamos repetir a safra recorde do ano passado, quando alcançamos quase 137 milhões de toneladas de grãos. Não alcançaremos. Na soja, estaremos por volta de 50 milhões. A falta de água está causando danos irreversíveis", sinalizou. Ele destacou ainda que o panorama pode mudar caso chova nos próximos dias.

Como aponta o consultor Pablo Adreani, as chuvas não apareceram na zona núcleo e, pela primeira vez, ficaram hectares sem plantar na Argentina: 1,3 milhões de hectares que estavam destinados para a soja e outro milhão para o milho. Desta forma, a safra de soja prevista em 57 milhões de toneladas poderia ser recortada para 47 milhões de toneladas e a de milho, de 40 milhões para 35 milhões.

Em preços atuais, isso implica em uma perda de US$4 bilhões para a soja e de US$1 bilhão para o milho, além de uma queda de US$1,120 bilhão nas "retenciones", os direitos de exportação recebidos pelo governo.

Enquanto isso, a seca está afetando o milho em sua etapa de floração, de forma que os rendimentos também tendem a ser menores. A soja também passa por um momento crítico. Emilce Terré, da Bolsa de Rosario, fala de um "forte estrago nos cultivos".

Daniel Pelegrina, titular da La Rural, estimou que a redução do rendimento deve ficar em 12%, em uma safra na qual o investimento em tecnologia foi maior. Para a La Rural, 81 milhões de toneladas de grãos estarão disponíveis para a exportação. Na safra passada, esse número era de 95 milhões de toneladas.

Com informações do Clarín.com

Neste momento, o Notícias Agrícolas está na Argentina com a Labhoro Corretora para acompanhar de perto a situação das lavouras. Clique aqui e confira!

Por: Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

 

Outras notícias